Malas prontas para a Suiça

Escolhi falar dessa região primeiramente por razões sentimentais, já que foi numa linda cidade na beira do lago que passei grande parte da minha infância. Além disso, trata-se de uma terra conhecida pela sua beleza e pela sua grande diversidade, também chamada de Riviera Suiça.

O Léman, ou Lago de Genebra, é o segundo maior lago da Europa ocidental. Tem um formato de croissant e por entre suas margens passa a fronteira entre a Suiça e a França. O lado norte e as duas extremidades ficam no território suíço, mais precisamente nos cantões de Genebra, Valais e Vaud, todos de língua francesa.

A Catedral de São Pedro se destaca na paisagem de Genebra com seu visual imponente

Com suas limpíssimas cidades à beira de um lago cristalino, emolduradas por montanhas cobertas de neve, campos intermináveis, incontáveis parques floridos, vinhedos a perder de vista e famosos castelos e fortes medievais, esta região foi se tornando um importante destino do turismo mundial.

No entanto, não faltam atividades para quem vai atrás das paisagens de cartões postais. Dos festivais de renome aos spas internacionais, passando por museus variados, comércio sofisticado, hotéis imponentes, restaurantes estrelados e excelentes vinhos, as opções são infinitas. Isso sem falar do pontual sistema de transporte público, que faz jus à sua reputação. Aliás, vale ressaltar que qualquer turista hospedado em hotel, albergue ou camping tem direito a um cartão que dá acesso gratuito a todos os tipos de transportes.

Se mesmo assim ainda faltar emoção ou aventura, pode-se praticar um esporte aquático no lago, fazer uma das muitas trilhas a pé, de bicicleta ou de moto, ou ainda pegar a estrada que leva, em menos de uma hora, a algumas das melhores estações de esqui do mundo.

Talvez seja por alguma dessas razões que a região tenha sido escolhida por Charlie Chaplin, Coco Chanel, Freddie Mercury e tantos outros como local para morar.

O Café de Paris é um dos típicos restaurantes suiços

Conhecida por sua requintada gastronomia, a região conta com vários restaurantes estrelados pelo Guia Michelin, além de um sem número de excelentes brasseries e restaurantes típicos. Os vinhos brancos produzidos na beira do lago também vêm sendo cada vez mais apreciados e estão entre os melhores da Europa. Isto sem falar dos queijos, frios, pães e chocolates.

Toda vez que vamos à Suiça comemos pelo menos uma vez no Café de Paris, em Genebra, ao lado da estação de trem, no número 26 da Rue Du Mont Blanc. Tradição começada pelo meu avô que, quando viajava, descia do trem em Genève para saborear o melhor molho de café de Paris do mundo. O restaurante tem um prato único que é o contra filet no molho de manteiga e ervas, batatas fritas e salada, num ambiente simples de brasserie com serviço ininterrupto 7 dias por semana das 11:00 às 23:00. De comer rezando!

Nas nossas últimas viagens conhecemos dois lugares maravilhosos para os quais fomos convidados: La Clef d’Or, na linda cidadezinha de Bursinet, é um pequeno hotel/restaurante no meio dos vinhedos com uma vista para o lago de cortar o fôlego. A refeição que tivemos, regada a vinhos locais livres de conservantes foi inesquecível. O chef é francês e o cardápio está sempre mudando, dependendo das estações e das colheitas dos produtores da região.O outro é l’Auberge les Platanes, no vilarejo de Chéserex, perto de Nyon. Um ambiente sofisticado, de extremo bom gosto, onde nos foi servida uma maravilhosa salada com vieiras e camarões seguida pelo melhor steak tartare que já sonhamos em comer, preparado na nossa frente. Os melhores vinhos acompanharam, mais uma vez.

Morges, às margens do Lago Léman, encanta por suas belezas naturais

Tarefa complicada é escolher quais cidades visitar entre todas à beira-lago. Com certeza vou cometer injustiça deixando de citar algumas, mas tentarei fazer o melhor:

Genebra, segunda maior cidade da Suíça após Zurich, conhecida como a capital da paz, é a mais internacional das cidades do país e um dos mais importantes centros diplomáticos e financeiros do mundo. Apesar disso, não perdeu o seu charme e vale a pena passear a pé pelas ruas da cidade velha. Com um jato de água de mais de 110 metros de altura, o famoso relógio de flores e a catedral de São Pedro, onde começou o movimento da reforma de Jean Calvin que se espalhou depois por toda a Europa, Genève também é uma das mais bonitas e sofisticadas metrópoles e está sempre entre os três primeiros lugares no ranking das cidades com melhor qualidade de vida do mundo.

Lausanne, com sua imponente catedral gótica do século XII, é sede do comitê olímpico internacional. Já é a quarta maior Cidade da Suíça, mas continua organizada e limpa. Suas ruas estreitas que sobem e descem oferecem passeios imperdíveis, a pé ou não. Há poucos anos, Lausanne tornou-se a menor cidade do mundo a ter um sistema de metrô completo. Na beira do lago encontra-se o Museu Olímpico.

Montreux é conhecida no mundo inteiro por seus festivais de jazz e de cinema. É uma das mais bonitas cidades do Léman, caracterizada com vinhedos pelas encostas e vista dos Alpes. A estátua de Freddie Mercury (falecido vocalista do Queen) na beira do lago não deixa esquecer o tempo em que ele morou lá. Foi nessa cidade que aconteceram os fatos que deram origem à música Smoke On The Water, do Deep Purple. Pelo romântico “caminho florido” chega-se após uma caminhada de 45 minutos ao famoso castelo de Chillon que já rodou o mundo em capas de cadernos e quebra-cabeças.

Uma das atrações que atrai os olhares dos turistas é o Relógio de Flores de Genebra

Vevey, sede mundial da Nestlé, abriga um interessante museu do alimento. A cidade foi a casa de Charlie Chaplin até sua morte e uma estátua em homenagem ao ator foi construída na beira do lago.

Nyon era a mais importante colônia romana da Suíça e ainda conserva vestígios preciosos daquela época. É o ponto de início de vários passeios em torno do lago e possui um interessante museu que conta a história do Léman.

Enfim, Morges, onde vivi minha infância e adolescência, é chamada por muitos de “pérola do Lago Léman”. A Grand Rue, sua principal rua, foi definitivamente fechada ao trânsito e é um charme, com suas butiques e cafés. Na beira do lago, o velho porto e o castelo medieval têm as montanhas como moldura.

Bon Voyage, bon appétit et…Santé! (Boa viagem, bom apetite e… saúde !)

Compartilhe

Esta entrada foi publicada em Turismo e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.