Preparando o corpo para o Tiro Prático

Assim como na maioria dos esportes, o atleta de Tiro Prático precisa ter cuidado com o preparo físico, condição essencial para garantir o bom desempenho nas competições. Durante os treinos, o foco principal deve ser a velocidade, a potência e a flexibilidade para o atleta sair de uma posição para outra com mais agilidade.

O programa de atividade precisa ser personalizado, de acordo com o atleta e o esporte que pratica. Romildo Rabelo, preparador físico de Guga Ribas, explica: “O sistema de energia do esporte determina a fibra muscular que o atleta precisa trabalhar durante a sua atividade física, que no caso do Tiro Prático, é a Fibra Rápida”.

O treinador também afirma que a atenção com o alongamento e com a coordenação motora são extremamente importantes: “Com uma boa flexibilidade, o atleta consegue ser mais ágil, pois não perde tempo ao mudar de uma posição para outra. Desenvolver a coordenação motora também é necessário para o deslocamento eficaz do atleta”.

Romildo ainda ressalta que além do treinamento físico propriamente dito, não se deve esquecer da alimentação, que pode influenciar no humor e no preparo psicológico do atirador para lidar com a ansiedade, que precisa enfrentar durante dias inteiros de competições. Se exercitar com os cuidados necessários e de maneira agradável é eficaz para um resultado cada vez melhor.

Entrevista com Romildo Rabelo (Preparador Físico do Guga Ribas)

Como é feito o preparo físico de um atleta de Tiro Prático? 

O atirador deve parar e arrancar fazendo muitas repetições de movimentos num curto período de tempo (dificilmente passa de 15 segundos). Por isso é preciso dar atenção não só para o trabalho muscular, mas também para a velocidade.

O programa de atividade depende de cada pessoa e da avaliação diária de como ela está: disposta, com o sono atrasado, se existe alguma lesão. Por isso é importante diversificar e acompanhar o ritmo do atleta.

Exercícios para dar mais flexibilidade também são essenciais, principalmente para o Tiro Prático. Com uma boa flexibilidade, o atleta consegue ser mais ágil, pois não perde tempo ao mudar de uma posição para outra. Desenvolver a coordenação motora também é necessário para o deslocamento eficaz do atleta.

Além disso, é preciso trabalhar bastante a coordenação motora para uma maior precisão e facilidade de deslocamento do atirador.

Qual é a frequência do treino?

O atleta deve fazer exercícios físicos seis dias e descansar um.

Como essa rotina é mantida durante as viagens?

Costumo usar o elástico nos treinos dos atletas, como o Guga Ribas, antes mesmo de iniciar os exercícios nos aparelhos de musculação. Isso porque as atividades no elástico iniciam o trabalho muscular sem atrito, aquecem e preparam para a musculação, ao fortalecer os músculos estabilizadores (músculos menores, importantes para estabilizar os maiores). É também um acessório pequeno e fácil de levar na mala. Além do elástico e da corda de pular, recomendo o power ball (uma bola que cabe na palma da mão e que, quando comprimida, proporciona força aos músculos das mãos e dos braços). O ideal é que eles encontrem um tempo para se exercitar um pouco, mesmo no meio da correria dos campeonatos.

Quais são os cuidados que o atleta deve ter para colaborar com todo esse preparo físico?

Eu oriento, basicamente, que ele tenha uma alimentação saudável, com o acompanhamento de um profissional. A alimentação é muito importante até mesmo para o humor do competidor. Mexe muito com o emocional da pessoa.

Compartilhe

Esta entrada foi publicada em Esportes e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.